Tapetes Floridos

De corações carregados de fé, as gentes da Ribeira, novos e mais velhos, trabalham durante toda a noite, até ao amanhecer, enfeitando as suas ruas com tapetes de sal e centenas de motivos alusivos à pesca, à Romaria e à cidade.

São centenas de braços, incluindo os de amigos e até de curiosos, que trabalham mais de 30 toneladas de sal colorido, utilizado para decorar as seis ruas para “a Senhora passar”.

Ao mesmo tempo, no cais, os pescadores embelezam a preceito as suas embarcações com belíssimos arranjos floridos e apetrechos de pesca, para no dia seguinte levarem os andores ao mar.

A toda esta preparação, por entre muito trabalho anónimo, assistem milhares de pessoas, algumas cantando e dançando ao som das concertinas, das tunas ou simplesmente dos amigos que se juntam para tocar bombo ou cantar noite dentro, sempre com passagem obrigatória pelas tasquinhas da Ribeira.

A Ribeira de Viana do Castelo acorda no seu maior esplendor a cada dia 20 de agosto. Numa espontânea romaria pelas ruas, admiram-se os tapetes de sal mais bonitos do mundo. Com o olhar deslumbrado, perante verdadeiras obras de arte na forma de tapetes de sal, milhares de turistas e vianenses percorrem as ruas da Ribeira durante a manhã.

 

Com a luz natural as cores sobressaem, os desenhos ganham vida e para quem trabalhou nestas decorações ao longo de um ano, não há beleza comparável aos cerca de mil metros de rua atapetados e engalanados para receber a bênção de Nossa Senhora da Agonia.